Quem faz

Margot Ferreira (Nova Iguaçu, RJ - 20/03/1969) começou no Jornalismo em 1990, quando trocou a Baixada Fluminense por Natal, capital do Rio Grande do Norte. Passou pela 96FM, pela Rede Tropical de Comunicação (FM, AM e TV, hoje afiliados da RECORD), TV Potengi (extinta afiliada BAND) e INTERTV CABUGI (afiliada GLOBO, onde ficou de 1993 a 2015 como editora e apresentadora do RNTV). Hoje faz parte dos quadros da TV PONTA NEGRA, afiliada do SBT no RN, e líder de audiência no Estado no horário vespertino. Embora sua experiência se estenda a todas a editorias, a de "cultura" sempre foi o carro-chefe de sua carreira.

E foi por isso que a COLUNA CORES E NOMES nasceu e foi ao ar pela primeira vez em Outubro de 2009 no RNTV, trazendo a cantora Roberta Sá como convidada. A potiguar, ainda em começo de carreira, contou sobre sua mudança para o Rio de Janeiro ainda criança, a descoberta dos primeiros amigos no boêmio bairro da Lapa e sobre o amor pela Praia de Muriú, no litoral Norte do RN,  onde a entrevista foi gravada.   

Caetano Veloso, considerado o "padrinho" do "Cores e Nomes", também foi entrevistado e ganhou duas edições exibidas em dois sábados seguidos. Foi do álbum "Cores, Nomes" de 1982, que a jornalista e idealizadora da coluna, extraiu o título que virou uma espécie de marca registrada, de espaço cativo e garantido do artista potiguar - ou não - para mostrar um pouco do que pensa e faz.

Na TV PONTA NEGRA, afiliada do SBT no RN, o PROGRAMA CORES E NOMES permaneceu no ar durante os anos de 2015 e 2016 trazendo nomes inéditos no projeto -  como Guilherme Arantes, Toquinho, Maria Gadu e Ednardo - e velhos conhecidos da antiga coluna, como Nando Reis, Lenine, Jorge Vercilo e Zeca Baleiro. 

Desenvolvido por: Ateliê e Comunicação